quinta-feira, 15 de Março de 2012

VOCÊ VAI AOS CULTOS DE ORAÇÃO? IMPORTANTÍSSIMO!


Culto de Oração

Nestes dias muito se tem falado sobre reavivamento e reforma, e a igreja Adventista do 7º Dia tem tomado consciência deste importantíssimo tema, e algumas ações espirituais tem sido realizadas neste sentido. Mas tenho notado que alguns dos membros respondem apenas à estes picos espirituais, sem darem continuidade a uma vida de oração em conjunto no corpo da igreja. E nas reuniões de oração aparecem sempre os mesmos irmãos. Alguns trabalham na hora do culto, outros estudam fora da cidade, e não podem ir à igreja. Mas o que dizer dos demais, que está tudo bem com eles, e não aparecem nos cultos de oração? Por que será que aqueles que trabalham e estudam fora, também não aparecem nas reuniões de oração no período das suas férias ou folga?


“Oh! quão bom e quão suave é que os irmãos vivam em união. É como o óleo precioso sobre a cabeça, que desce sobre a barba, a barba de Arão, e que desce à orla das suas vestes. Como o orvalho de Hermom, e como o que desce sobre os montes de Sião, porque ali o Senhor ordena a bênção e a vida para sempre.” Salmos 133:1-3.

Os grifos acima refletem a necessidade de estarmos unidos na igreja como irmãos. Quando estamos na igreja, recebemos uma bênção especial que já foi ordenada por Deus. As reuniões de sábado são importantes, pois o sábado pertence a Deus e não a nós. Mas como filhos de Deus, precisamos também de participar das reuniões de oração promovidas pela igreja, como; os cultos de oração, vigílias e outros momentos de consagração.

Encontramos estes três importantes textos do Espírito de Profecia sobre a necessidade do crente participar dos cultos de oração e também de orarem de forma unida.

“Os que estão realmente buscando a comunhão com Deus, serão vistos nas reuniões de oração, fiéis ao dever.” Caminho à Cristo, 98

“A promessa é feita com a condição de que sejam oferecidas pela Igreja orações unidas, e em resposta a estas orações, poder-se-á esperar um poder maior do que aquele que vem em resposta à oração privada. O poder dado será proporcional à unidade dos membros e do seu amor por Deus e uns pelos outros.” - Carta 32, 1903,5 aos irmãos Farnsworth, a 28 de Janeiro de 1903. 2

 "Os irmãos devem colocar-se ao lado uns dos outros, unindo as suas orações junto ao trono da graça, para que consigam mover o braço do Onipotente. O céu e a terra estarão então intimamente ligados na obra, e haverá alegria e júbilo na presença dos anjos de Deus." Fundamentos da Educação Cristã, 210.

Jesus mencionou que podemos nos reunir tendo apenas dois ou três irmãos: “Onde estiverem dois ou três reunidos em Meu nome, ali estou no meio deles.” Mateus 18:20. A medida que vamos mantendo a reunião de oração ativa, o número de membros e visitas vai aumentando.

Ao nos reunirmos nessas ocasiões para orar, temos que cuidar para não impedirmos a ação divina nas respostas às nossas orações. Qualquer mágoa ou ressentimento contra alguém, relutância em perdoar, intolerância, orgulho, presunção, egoísmo, pecados encobertos não confessados, preconceitos, desonestidade no dia-a-dia para com as pessoas e para com Deus, desentendimentos familiares não solucionados; todas essas coisas são alguns dos motivos que impedem nossas orações de chegar ao trono da graça divina porque, “nossas iniquidades fazem separação entre nós e o vosso Deus” Isaias 59:2   

É necessário haver harmonia entre os adoradores nessas ocasiões. Tomemos como exemplo a maneira de orar dos cristãos primitivos. Eles não oravam timidamente e duvidando, mas o faziam com a inabalável certeza de que Deus podia manifestar Seu grande poder nesses momentos de fervorosa comunhão.

Nestas reuniões devemos ter a coragem de pedir até milagres. Porque ao orarmos à semelhança dos primeiros cristãos, poderemos até experimentar o que eles experimentaram. Pois, “tendo eles orado, tremeu o lugar onde estavam reunidos” Atos 4:31  

Não nos esqueçamos de que o Espírito Santo foi dado  quando os crentes estavam reunidos em oração. Portanto, a união dos crentes nessas ocasiões não deve ser apenas mais  uma opção ocasional. Deve ser sim, uma condição, uma necessidade constante.

Veja estes textos: “Todos estes perseveravam unânimes em oração” Atos 1:14. “Os que forem trasladados no fim do tempo serão os que comungam com Deus na Terra” Ellen G. White, Filhos e Filhas de Deus, 20. Portanto, em nossa vida de comunhão, vamos dar um lugar de honra aos cultos de oração.

Desejo que a sua vida de oração seja reavivada para que você receba o verdadeiro reavivamento e reforma

Luís Carlos Fonseca.

Sem comentários:

Enviar um comentário