terça-feira, 23 de dezembro de 2014

JESUS; O VERDADEIRO MOTIVO DO NATAL

JESUS; O VERDADEIRO MOTIVO DO NATAL

“E dará à luz um filho e chamarás o seu nome Jesus; porque ele salvará o seu povo dos seus pecados.” Mateus 1:21

JESUS HOMEM - No Natal surgiu em meio a história mundial um Homem totalmente integrado nela, mas em muito superior a história; Jesus Cristo. Ele é inteiramente diferente, singular. Jesus movimentou o mundo como ninguém antes ou depois dele o fez. A Enciclopédia Britânica utiliza 20.000 palavras para descrever a pessoa de Jesus. Sua descrição ocupa mais espaço que as biografias de Aristóteles, Cícero, Alexandre Magno, Júlio César, Buda, Confúcio, Maomé ou Napoleão Bonaparte.

O homem Jesus tornou-Se o maior tema da história mundial. Sobre nenhum outro se escreveu mais do que sobre Ele. A respeito de ninguém se discutiu tanto quanto sobre Jesus. Ninguém foi mais odiado, mas também mais amado e combatido, mas também mais louvado. Sobre nenhum outro foram feitas tantas obras de arte, hinos, poemas, discursos, e livros do que sobre Cristo. Diante dele dividem-se as opiniões. Uns gostariam de O amaldiçoar, outros testemunham que sua vida foi radicalmente mudada por Jesus e cheia de esperança. Não é possível imaginar a história humana sem Jesus. Na época do Natal, milhões comemoram o Seu nascimento consciente ou inconscientemente. Na Páscoa, lembra-se da Sua morte e ressurreição; na Ascensão, da Sua volta para Deus; e no dia de Pentecostes do nascimento da igreja que leva o Seu nome, a igreja cristã.

JESUS DEUS - A Bíblia diz que Cristo é, ao mesmo tempo e literalmente, verdadeiro Deus e verdadeiro homem. Lemos em I Timóteo 3:16: “Evidentemente, grande é o mistério da piedade: Aquele Deus que foi manifestado na carne...” E em II Coríntios 5:19 está escrito: “a saber, que Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo...” A vida terrena de Jesus nos mostra que Ele foi ao mesmo tempo verdadeiro homem, mas continuou também verdadeiro Deus. Percebemos muitos contrastes em Sua vida, tanto provas da Sua inteira humanidade, como da Sua perfeita divindade. Por exemplo, Ele sentia cansaço, mas ao mesmo tempo podia chamar para Si os cansados e dar-lhes a paz. João 4:6; Mateus 11:28. Jesus teve fome, mas era o próprio pão da vida. Mateus 4:2; João 6:35. Cristo teve sede, sendo ao mesmo tempo a água viva. João 19:28; João 7.37. Ele enfrentou a agonia da morte, mas curou todos os tipos de doenças e aliviou qualquer dor. Jesus foi tentado pelo diabo, mas expulsou demônios. Lucas 4:2; Mateus 8:31. Ele vivia no tempo e no espaço, mas era desde a eternidade. João 8:58. Jesus disse: “...o Pai é maior do que Eu”, e também: “Eu e o Pai somos um”, ou: “Quem me vê a Mim vê o Pai” João 14:28; João 10.30; João 14:9. Ele mesmo orava, como também respondia às orações. Lucas 6 12; Atos 10:31. Ele derramou lágrimas junto à sepultura de Lázaro, mas tinha o poder para ressuscitá-lo. João 11:35,43. Ele morreu, mas é a vida eterna. Jesus é o homem perfeito de Deus e o Deus perfeito dos homens.

Por que Deus tornou-se Homem? Ele veio para revelar-nos Deus. Em Jesus Cristo, Deus Se manifestou da forma mais clara. Ele é a prova de que Deus não se afasta do pecador, mas volta-Se à ele e ama todos os homens. Jesus veio para convencer este mundo de sua pecaminosidade e necessidade de redenção. Ele veio para morrer, como homem sem pecado, pelo pecado dos homens, para entregar-Se como sacrifício por eles, por uma humanidade que tinha caído através do primeiro homem, Adão. Agora, os homens podem ser salvos por Ele. Por isso, Jesus é chamado também de “último Adão” I Coríntios 15:45. Ele veio para destruir as obras do diabo, para tirar o poder da morte e para vencer o pecado. Tornar-se homem em Jesus foi a única possibilidade de Deus resgatar um mundo perdido: “Porquanto Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que julgasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele” João 3:17.

JESUS VOLTARÁ -  Jesus voltará como subiu aos céus, ver Atos 1:11, do modo como foi e subiu ao céu, no mesmo corpo, mas glorificado, Ele retornará. Jesus, o homem que é Deus, o filho de Maria, a criancinha de Belém, o jovem de Nazaré, o Mestre da Judéia que curava, o homem do Calvário, voltará como Rei da glória e como Senhor dos senhores. Muitos homens, conquistadores, reis e ditadores, já quiseram ser deuses, mas todos fizeram o sangue de homens ser derramado por eles. O imperador romano Augusto que conhecemos da história do Natal, fazia-se chamar de “kyrios” (senhor) e até de “soter” (salvador). Mas o Deus que tornou-Se homem deu Seu sangue por este mundo. Por isso, somente Ele é o Salvador, que diz também a você: “...quem crê no Filho tem a vida eterna...” João 3:36. No homem perfeito Jesus, Deus torna perfeito a todo que O aceita em seu coração. Você crê nele e O aceita?


Feliz Natal!

Luís Carlos Fonseca

Sem comentários:

Enviar um comentário