segunda-feira, 31 de Maio de 2010

O QUE CONTAMINA O HOMEM? O QUE ENTRA OU O QUE SAI DA SUA BOCA?

O QUE CONTAMINA O HOMEM? O QUE ENTRA OU O QUE SAI DA SUA BOCA?

É dito, através da tradição judaica que; um rabi, certa vez, omitiu a cerimónia de lavar as mãos, e foi sepultado vivo. Um mestre devia dar o exemplo.

É mencionado também que certo soldado Judeu quando foi preso, ao receber sua porção diária de água, ao invés de a beber, ele realizava a cerimónia de lavar as mãos.

“O que contamina o homem não é o que entra na boca, mas, o que sai da boca, isto é o que contamina o homem.” Mat. 15:11.

“Nada há, fora do homem, que, entrando nele, o possa contaminar; mas o que sai dele isto é o que contamina o homem.” Mar. 7:15.

O texto usado por Jesus em Mateus é uma parábola: “Então, lhe disse Pedro: Explica-nos a parábola. Jesus, porém, disse: Também vós não entendeis ainda?” Mat. 15:15-16 . Após análise do contexto em que Jesus proferiu esta declaração, alguns factos se explicam:

Primeiro ponto: Sobre parábolas não se pode firmar nenhuma doutrina , pois, uma história fictícia é utilizada apenas para ilustrar, a fim de se transmitir uma lição espiritual.

Segundo ponto: Jesus não estava a falar dos alimentos considerados imundos, sendo que os ouvintes eram judeus legalistas. Os Judeus não comiam nem porco, nem coelhos, etc... De modo algum haveria na mesa deles algum tipo de carne imunda.

Terceiro ponto: Jesus tinha outro propósito ao mencionar esta parábola: “Mas o que sai da boca procede do coração, e isso contamina o homem. Porque do coração procedem os maus pensamentos, mortes, adultérios, prostituição, furtos, falsos testemunhos e blasfémias. São estas coisas que contaminam o homem; mas comer sem lavar as mãos, isso não contamina o homem.” Mat. 15: 18-20

Em Marcos 7: 1 e 2 menciona que os escribas e fariseus vendo que alguns dos discípulos de Jesus comiam pão, sem lavar as mãos, os repreendiam.

Os fariseus estavam preocupados com o exterior. Eles eram legalistas nos ritos, ao ponto de não comerem sem lavar as mãos. Mas estavam prontos para criticar os discípulos por causa de uma tradição boba.

Devemos cuidar também para não dar mais importância para nossas invenções e conveniências, e deixar o mais importante, que é obedecer a Palavra de Deus. Devemos cuidar também com o uso da nossa língua. Que seja usada apenas para abençoar.

Luís Carlos Fonseca

2 comentários: