quarta-feira, 5 de maio de 2010

O Uso do Vinho na Bíblia

O Uso do Vinho na Bíblia.
A Bíblia autoriza o uso do vinho? Podemos beber socialmente?
A Bíblia ensina tipos de vinhos diferentes? Paulo autorizou o vinho à Timóteo?
Deus autorizou Noé e Ló a beberem vinho?


Seguem dois textos bíblicos que mostram claramente a diferença entre o vinho fermentado/ alcoolizado e o não fermentado.

“Para quem são os ais? Para quem os pesares? Para quem as rixas? Para quem as queixas? Para quem as feridas sem causa? E para quem os olhos vermelhos? Para os que se demoram em beber vinho, para os que andam buscando bebida misturada. Não olhes para o vinho, quando se mostra vermelho, quando resplandece no copo e se escoa suavemente. Pois ao cabo morderá como a cobra e picará como o basilisco. Os teus olhos verão coisas esquisitas, e o teu coração falará perversidades. Serás como o que se deita no meio do mar e como o que se deita no alto do mastro e dirás: Espancaram-me, e não me doeu; bateram-me, e não o senti; quando despertarei? Então, tornarei a beber. Prov. 23:29-35.

“Assim diz o SENHOR: Como quando se acha vinho num cacho de uvas, dizem: Não o desperdices, pois há bênção nele, assim farei por amor de meus servos e não os destruirei a todos”. Isa. 65:8.

Aqui, podemos ver claramente dois tipos de vinho. Se fosse o mesmo, seria uma contradição. O primeiro texto trata do vinho com álcool. Seria impossível Jesus usar na santa ceia o tipo de vinho mencionado aí. Estaria indo contra a Bíblia. O segundo texto aborda o vinho sem álcool, do puro sumo natural da uva.

NO ANTIGO TESTAMENTO
1) Tirôsh – Essa palavra é usada para se referir ao vinho que não é alcoólico. Aparece 38 vezes no AT e está relacionada com coisas boas: Gên. 27:37; Sal. 104:15; Prov. 3:10; Oséias 2:22, etc.
2) Shekar – Sempre usada para se referir ao vinho alcoólico: Prov. 20:1; Prov. 23:29 e 30; Isa. 28:7; Isa. 5:11, etc.
3) Yayin – Palavra usada para se referir ao vinho em geral, tanto alcoólico quanto não-alcoólico. Ocorre 140 vezes no AT. 1Sam. 1:14; Isa. 55:1.

NO NOVO TESTAMENTO
No N. T também há 3 palavras para se referir ao vinho.
Sikera e Gleukos – Usadas apenas 1 vez cada uma, fazendo alusão ao vinho fermentado e alcoólico: Luc. 1:15; Actos 2:13
3) Oinos – é a mais empregada no Novo Testamento e é usada em referência tanto ao vinho fermentado quanto ao não fermentado. A Septuaginta utilizou a palavra “oinos” para traduzir as palavras Yayin (vinho em geral) e tirôsh (vinho não fermentado): Luc. 7:33; João 4:46.

Entendendo dois textos difíceis:

Deut. 14:26 – Deus tolerou nos dias do Antigo Testamento algumas práticas que Ele nunca aprovou. A tolerância foi por causa da ignorância e dureza de coração do povo. Pelo fato de o povo de Israel ter vivido no Egito, convivido com pagãos, alguns costumes perniciosos ficaram muito arraigados na vida deles: o uso de álcool, a prática da bigamia e poligamia, e o uso de jóias. Sendo Deus paciente e “grande na força da Sua compreensão” (Jó 36:5), suportou por um tempo tais costumes e, na medida em que o tempo passava, foi reeducando-os (Deut. 14:26) para que se parecessem cada vez mais com Ele. No Novo Testamento há mais luz sobre o assunto e hoje temos muitas informações sobre os malefícios do álcool. Veio o tempo quando Deus ordenou que todos os homens se arrependessem (Actos 17:30). E, aqueles que persistirem em suas práticas erradas mesmo tendo sido aconselhados e informados por Deus, não teriam mais desculpa para o seu pecado (João 15:22).

I Tim. 5:23 – Para entendermos esse verso bíblico, precisamos saber o motivo que levou Paulo a dar esse conselho e também comparar o texto com outro escrito pelo mesmo autor, Efés. 5:18. Paulo orientou Timóteo a usar um pouco de vinho como remédio por causa de uma enfermidade, provavelmente no estômago. Alguns médicos hoje em dia também recomendam o uso de sumo de uva devido à sua rápida absorção pelo sistema orgânico. Efésios 5:18 esclarece-nos que esse pouco de vinho recomendado pelo apóstolo não poderia ser o alcoólico.

A Bíblia recomenta a ficarmos longe de qualquer bebida alcoolizada.

2 comentários:

  1. Pior que o vinho alcoólico, é o vinho da contenda, da discórdia, da fofoca, do leva e trás, do fuxico, da prostituição, da ganância de muitos que se dizem irmãos, dos que se vendem por dinheiro, das campanhas de prosperidade "de muito que Deus lhe dará muito mais".
    Vamos combinar ! Adore ao Senhor Jesus com todas as suas forças e Ele lhe dará tudo que pedires.

    ResponderEliminar
  2. Interessante imaginar que uma festa de casamento seria regada a suco de vinho, creio que seria estranho ter provador de suco de vinho e que o mesmo faria referencia a servir o melhor vinho no inicio, quando todos ainda não estão sob o efeito do vinho e o pior depois|: quando ja não se percebe mais a diferença. Hipócritas, buscam subverter o que Jesus sempre disse: Não é o que entra pela boca que contamina mas sim o que sai dela.
    Vamos viver cristo, tão somente!

    ResponderEliminar