quinta-feira, 9 de junho de 2011

Esboço de Sermão: DEIXE A ANSIEDADE



Introdução

Vivemos a era da ansiedade. Na maioria das vezes, nem temos razão para ficar ansiosos.

Cerca de 40% dos brasileiros apresentam distúrbios do sono, segundo a Academia Brasileira de Neurologia (ABN). Certamente, a ansiedade deve ser uma das causas para que as pessoas não consigam dormir bem.

O dicionário Aurélio define ansiedade como “sensação de receio e de apreensão, sem causa evidente”. Ou seja, é “esquentar a cabeça” sem necessidade.

Talvez você não seja uma pessoa ansiosa, mas provavelmente já tenha passado por momentos de ansiedade, ou esteja passando por isso agora.

Jesus deu quatro conselhos para controlarmos nossa ansiedade.


I - Diferencie o Importante do Essencial
Quando Jesus fala de ansiedade, não trata da preocupação em si, mas do objeto da preocupação – nossas posses – roupas e alimentos (v. 25). A ansiedade surge quando temos medo de perder as coisas que possuímos.

Segundo Cristo, nos preocupamos tanto com o que temos ou não, porque valorizamos demais os objetos que possuímos. O primeiro passo para nos livrarmos da ansiedade é percebermos que as coisas desta vida são extremamente pequenas, por maiores que pareçam!

É certo que a saúde é fundamental, que roupas e alimentação não devem faltar em nossa casa. Porém, tudo isso não é mais importante do que Deus em nossa vida. Podemos estar tão ansiosos “pelo que havemos de comer, de vestir” e tantas outras coisas importantes, que nos esquecemos das coisas essenciais, como: orar, ter comunhão com Deus e fazer dEle o primeiro em tudo. Devemos perceber a diferença entre o importante e o essencial!

Existem coisas importantes e outras essenciais. A comida é importante; a vida é essencial. As roupas são importantes; o corpo é essencial (v. 25). Da mesma forma, dinheiro é importante; Cristo é essencial. Uma casa é importante; a oração é essencial. A própria vida, por outro lado, é importante, no entanto, a vida eterna é essencial. Quando enxergamos as coisas desta vida do ponto de vista da eternidade, percebemos o quanto são pequenas e que não justificam tanta preocupação.

II - Lembre-se de Quem é o seu Deus
Outra causa da ansiedade é a falta de memória. Esquecemos que Deus cuida de nós. Daí a sensação de solidão, de desamparo. Jesus nos convida a olhar para Aquele que sustenta as aves e veste os lírios (v.28,29).

Por outro lado, também precisamos trabalhar. Foi o que Paulo disse aos cristãos de Tessalônica (2 Ts 3:10).

O ser humano precisa de um Deus que só a Bíblia apresenta: Alguém que seja criador, conhecedor e mantenedor de tudo, mas que nos ame. Com o exemplo das aves e dos lírios, Jesus demonstrou essas duas qualidades: Deus é poderoso e amoroso para cuidar até mesmo dos detalhes. Para Ele, não somos detalhes. Valemos o sangue do Filho de Deus. Portanto, é lógico que Ele nunca nos desamparará (Sl 127:1-2; 37:25).

Igualmente nenhuma ansiedade nos dominará, se levarmos nossos pedidos a Deus (Filip. 4:6).

III - Não Sofra por Antecipação
Você já sofreu por antecipação? Podemos nos preocupar com coisas que acontecerão ou não. As crianças querem crescer; os jovens, se formar na faculdade; os adultos, conquistar sonhos, mas tudo ocorrerá somente no momento certo (v.27).

Temos dois tempos: o tempo “natural”, regulado pelas leis da natureza e pelo andamento da vida (Ec 3:3-18) e o tempo de Deus. Por isso, vencer a ansiedade também significa aprender a esperar pelos momentos certos. Foi o que Jesus ensinou em Sua própria vida, pois, mesmo sabendo da cruz, viveu cada momento confiando no Pai e deixando para o dia certo a preocupação maior com Sua morte.

IV - Não Seja “Mundano”
Jesus disse que são os “gentios” que se preocupam muito com os bens materiais (v.31,32). Os gentios eram os não-judeus, aqueles que não acreditavam no Deus verdadeiro. Para eles, o que importava era apenas ter coisas.

Para Jesus, viver ansioso pelos bens materiais não deve ser a marca de um Filho de Deus. E hoje, isso tem muito mais sentido, pois vivemos a ditadura do consumo, em que se associa a felicidade de alguém a sua capacidade de compra. Além disso, as pessoas já não buscam essencialmente o ter, mas o parecer. Se, de alguma forma, tiverem alguma coisa que lhes faça parecer ricas e importantes, isso já é o bastante. Pode ser um celular, um carro, um tênis, ou mesmo as roupas. Na verdade, deveriam se preocupar com as coisas celestiais. A parábola do fazendeiro “louco” diz isso (Lc 12:15-21).

Um verdadeiro cristão coloca Deus em primeiro lugar (v. 33).

Conclusão
Você tem sofrido com a ansiedade? Suas preocupações são tantas, que você nem consegue refletir nas coisas espirituais? Jesus o convida hoje a parar um pouco, deixar a correria e o barulho para olhar para Alguém que o ama e pode resolver tudo.

Controle sua ansiedade aprendendo a esperar enquanto trabalha e confia no cuidado de Deus.

Diogo Cavalcanti - Revista do Ancião - Abr – Jun 2008. Depto Comunicações UCB.

Luís Carlos Fonseca



4 comentários:

  1. O Texto para este sermão está em Mateus 6: 25-34. Boa leitura e ou pregação. Um abraço.

    ResponderEliminar
  2. Pastor Luis, obrigado por esse texto. Me ajudou. Sou ansiosa e luto muito contra isso.É sempre bom ler sobre "contra" ansiedade. Ieda

    ResponderEliminar