quinta-feira, 15 de agosto de 2019

COMENTÁRIOS DA LIÇÃO 9 (3º trimestre 2019) SERVIÇO NA IGREJA DO NOVO TESTAMENTO


COMENTÁRIOS DA LIÇÃO 9 (3º trimestre 2019) SERVIÇO NA IGREJA DO NOVO TESTAMENTO

VERSO ÁUREO: “A religião pura e imaculada para com Deus e Pai, é esta: Visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações, e guardar-se da corrupção do mundo.” Tiago 1:27

INTRODUÇÃO (sábado 24 de agosto) -  A igreja primitiva foi formada por cristãos que se reuniam para ter comunhão e proclamar o evangelho, liderados pelos apóstolos, que transmitiam os ensinamentos de Jesus. Começando em Jerusalém, a igreja primitiva rapidamente se espalhou para vários outros lugares. A igreja Cristã começou no dia do Pentecoste, quando os discípulos receberam o Espírito Santo. A palavra igreja significa; “assembleia” e era assim que viam a igreja; como o conjunto das pessoas crentes em Jesus. A igreja não estava associada a nenhum edifício, embora os crentes se reuniam nas casas, no início de depois em templos.

Os sete diáconos foram escolhidos pela igreja primitiva para ajudar as pessoas de Jerusalém porque houve reclamação por parte dos judeus que falavam grego  "hellēnistōn" contra os judeus que falavam hebraico "hebraious" porque suas viúvas estavam sendo preteridas na distribuição diária das cestas de alimentos .Ver Atos 6:1. Os apóstolos convocaram então os discípulos e propuseram que fosse formada uma comissão de sete homens acreditados, cheios do Espírito e de sabedoria" Atos 6:3, que se incumbiriam da distribuição. Ver esta história em Atos 6:1-7.

A Grande Comissão é a ordem que Jesus deu para ir e fazer discípulos em todo o mundo. Jesus deu essa ordem aos apóstolos quando ressuscitou. A Grande Comissão é uma ordem para todos os crentes. A passagem conhecida como a “Grande Comissão” é Mateus 28:18-20. Depois que ressuscitou, Jesus apareceu aos 11 apóstolos e os enviou para pregar o evangelho ao mundo todo, fazendo mais discípulos até o fim dos tempos. Dentro do contexto da grande comissão está o dever de cada crente auxiliar o próximo em suas necessidades.

Este é um texto muito esclarecedor sobre a formação da igreja do Novo Testamento“A igreja primitiva era constituída de muitas classes de pessoas de diferentes nacionalidades. Ao tempo do derramamento do Espírito Santo, no dia do Pentecostes, “em Jerusalém estavam habitando judeus, varões religiosos, de todas as nações que estão debaixo do céu”. Atos 2:5. Entre os que adotavam a fé dos hebreus, reunidos em Jerusalém, havia alguns comumente conhecidos como gregos; entre estes e os judeus da Palestina tinha havido desde muito tempo desconfiança e mesmo antagonismo. O coração daqueles que se converteram mediante o trabalho dos apóstolos, abrandou-se e uniu-se pelo amor cristão. A despeito de preconceitos anteriores, todos estavam em harmonia uns com os outros. Satanás sabia que, enquanto essa união continuasse a existir, ele seria impotente para deter o progresso da verdade do evangelho; e procurou tirar vantagem de anteriores hábitos de pensar, na esperança de que, por esse meio, pudesse introduzir na igreja elementos de desunião. Assim aconteceu que, aumentando o número dos discípulos, o inimigo conseguiu despertar suspeitas de alguns que antigamente tiveram o hábito de olhar com ciúme a seus irmãos na fé, e descobrir defeitos em seus guias espirituais; e, desta maneira, “houve uma murmuração dos gregos contra os hebreus”. Atos 6:1. A causa da queixa foi a negligência que se alegava na distribuição diária de auxílio às viúvas gregas. Qualquer desigualdade seria contrária ao espírito do evangelho, contudo, Satanás conseguira despertar a suspeita. Medidas imediatas deveriam ser tomadas para remover todo o motivo de descontentamento, para que não acontecesse triunfar o inimigo em seus esforços de disseminar divisão entre os crentes.” Atos dos Apóstolos, 48

Jesus não deu a Grande Comissão só aos apóstolos, mas mandou os discípulos fazer mais discípulos, que obedecem a todos os Seus mandamentos. Ver João 14:15. Um desses mandamentos é fazer mais discípulos. Estamos cumprindo a missão?

DOMINGO (25 de agosto) UM NOVO TIPO DE COMUNIDADE - A igreja cristã teve o seu início de forma poderosa e com João Batista. Ele não fundou a igreja, mas preparou o caminho para Cristo e os apóstolos o fazerem. Jesus escolheu doze apóstolos. A igreja era pequena, liderada por Cristo e pelo Espírito Santo. Mas o grupo cresceu, de dezenas de pessoas passaram a ser milhares, e se fez necessário aperfeiçoar a organização.

A igreja não estava associada a nenhum edifício, embora os crentes se reuniam nas casas, no início e depois em templos. A igreja após o Pentecostes tinha uma hierarquia simples: havia pessoas que ensinavam, apóstolos e anciãos, e outras que aprendiam. Mais tarde também foram escolhidas pessoas para funções administrativas, como distribuir a comida. Ver Atos 6:2-4. Debaixo da supervisão dos líderes, todos podiam contribuir e ajudar.

Quando estudamos sobre a igreja primitiva, em Atos dos Apóstolos, ficamos impressionados com o quanto nos distanciamos das nossas origens. A igreja primitiva, com todas as lutas e perseguições que enfrentou podia sempre dizer que “tinha paz” e por isso “crescia em número”.

Então, precisamos aprender a promover na igreja um ambiente de paz para que, como consequência ela cresça em número. Veja esta declaração: “Assim, pois, as igrejas em toda a Judéia, e Galiléia e Samaria tinham paz, e eram edificadas; e se multiplicavam, andando no temor do Senhor e consolação do Espírito Santo.” Atos 9:31. Amém?

Os primeiros crentes buscaram o poder de Deus até receber o Espírito Santo. Em Atos 2:1-4 lemos: “Ao cumprir-se o dia de Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar; de repente, veio do céu um som, como de um vento impetuoso, e encheu toda a casa onde estavam assentados. E apareceram, distribuídas entre eles, línguas, como de fogo, e pousou uma sobre cada um deles. Todos ficaram cheios do Espírito Santo e passaram a falar em outras línguas, segundo o Espírito lhes concedia que falassem.”

Os que creram permaneciam na fé buscando a Palavra até receberem o poder.  O início da igreja foi marcado pelo recebimento do poder de Deus para pregar a Palavra. Veja este outro texto: “Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria, e até aos confins da terra.” Atos 1:8. Todos receberam o poder, não havia distinção de uns mais espirituais do que outros. Isso mostra que todos nós podemos receber a capacitação do céu.

A igreja Cristã necessitou ser organizada com o seu crescimento. A igreja de Cristo foi se organizando visando o cumprimento de sua missão, evangelizar o mundo e, ajudar os necessitados tornou-se a primeira necessidade.

Se estudarmos profundamente o livro de Atos dos Apóstolos, veremos que a diaconia não é outro ministério senão a prestação de um serviço incondicional e amoroso a Deus e à igreja de Cristo. O diácono e diaconisa, que não vivem para servir a igreja do Senhor, não servem para viver como ministro de Cristo. Sem o serviço prestado, com alegria, a diaconia é impossível, incompleta e carnal.

Definição de diáconos: A palavra diácono é originária do vocábulo grego diákonos e significa, etimologicamente; ajudante ou servidor. Já que o diácono é um servidor, pode ele também ser visto como um ministro; pois a essência do ministério cristão é justamente o serviço.

Porque foi necessário escolher os sete diáconos? O diaconato é o único ministério cristão que se originou de um fato social: o socorro às viúvas helenistas. Ver Atos 6:1-7. Após a leitura percebemos que o crescimento da igreja, o descontentamento social, o comprometimento do ministério apostólico e a organização da igreja, foram algumas das razões que levaram os apóstolos a instituírem o diaconato.

Veja estes textos: “Ora, naqueles dias, crescendo o número dos discípulos, houve uma murmuração dos gregos contra os hebreus, porque as suas viúvas eram desprezadas no ministério cotidiano.” Atos 6:1

“A causa da queixa foi a negligência que se alegava na distribuição diária de auxílio às viúvas gregas. Qualquer desigualdade seria contrária ao espírito do evangelho, contudo, Satanás conseguira despertar a suspeita. Medidas imediatas deveriam ser tomadas para remover todo o motivo de descontentamento, para que não acontecesse triunfar o inimigo em seus esforços de disseminar divisão entre os crentes.” Atos dos apóstolos, 48

SEGUNDA-FEIRA (26 de agosto) O MINISTÉRIO E O TESTEMUNHO DE DORCAS Este é o texto principal para o estudo de hoje: E havia em Jope uma discípula chamada Tabita, que traduzido se diz Dorcas. Esta estava cheia de boas obras e esmolas que fazia.” Atos 9:36

Um renomado cirurgião, chamado Lewis Evans, viajou à Coreia para visitar um colega que estava trabalhando como missionário ali. Dr. Evans acompanhou o seu amigo a uma vila distante onde uma mulher doente requeria uma cirurgia de emergência. Ele assistia ao médico, enquanto este; calma e firmemente realizava a operação que durou sete horas em um sufocante calor e sob primitivas condições. Depois, enquanto conversavam, o Dr. Evans brincou: “Ei Doutor, quanto você ganhou por uma operação como esta de hoje? Nos Estados Unidos ganharia no mínimo $ 15.000.” O médico cirurgião pegou uma moeda de cobre furada de sua gaveta e explicou que aquilo era tudo o que o paciente tinha dado. Então, disse: “Primeiro, eu ganhei esta moeda furada, e depois, tenho a profunda convicção de que Cristo esteve trabalhando por sete horas através destes dedos para tocar e curar um de seus filhos.” Isto é cristianismo!

Com a crise financeira e económica do mundo, as dificuldades entre as famílias em Portugal e no mundo está a aumentar a cada dia. O que me chama mais a atenção é a atitude de bondosos irmãos que, com os seus recursos pessoais, atendem famílias. Lembro-me do pensamento que diz: Quem não vive para servir não serve para viver.

Cada pessoa reage, de formas diferentes, diante do mesmo problema. Mas, o mal é que quando se trata de ajudar as pessoas, há crentes que, mesmo tendo uma boa conta bancária, são insensíveis, e além de não ajudar transferem a culpa e responsabilidade para o governo ou instituições.

O mundo está sedento de pessoas como Dorcas. Esta é a nossa chance de marcar a vida de outras pessoas com apenas um gesto de amor, um conselho, uma experiência a ser contada, uma atitude que pode ser pequena a você, mas que fará diferença ao outro. Se morresse hoje, que tipo de elogio receberia de seus amigos, familiares e pessoas que estão ao seu redor?

O que aprendemos a respeito de Dorcas? Dorcas era uma senhora de boas obras e fazia tudo que era bom para ajudar o próximo. Nós também devemos desenvolver ações sociais que venham ajudar as pessoas carenciadas.  Devemos ajudar o nosso próximo, mas principalmente amar o nosso próximo, pois foi isso que Jesus o nosso Senhor diz para nós fazermos.

Dorcas fazia vestidos para as viúvas como uma forma de consolo, e por isso as viúvas amavam tanto Dorcas. A Bíblia diz em Romanos 12 que devemos chorar com os que choram e alegrar com os que se alegram, devemos sim consolar o nosso próximo, pois essa é a nossa missão como crentes. As viúvas daquele tempo não recebiam pensão ou aposentadoria. Elas dependiam do bom coração das pessoas.

Havia muitas viúvas chorando, em torno do corpo de Dorcas porque ela era exemplo de amor ao próximo, por isso muitas viúvas, que foram ajudadas por Dorcas, ficaram em volta de seu corpo em luto. Nós também somos chamados a auxiliar as pessoas. Amém?

Se morresse hoje, que tipo de elogio receberia de seus amigos, familiares e pessoas que estão ao seu redor?

TERÇA-FEIRA (27 de agosto) DAR COMO FORMA DE PARTILHAREste é o texto principal para o estudo de hoje: “Portanto, assim como em tudo abundais em fé, e em palavra, e em ciência, e em toda a diligência, e em vosso amor para conosco, assim também abundeis nesta graça. Não digo isto como quem manda, mas para provar, pela diligência dos outros, a sinceridade de vosso amor. Porque já sabeis a graça de nosso Senhor Jesus Cristo que, sendo rico, por amor de vós se fez pobre; para que pela sua pobreza enriquecêsseis. E nisto dou o meu parecer; pois isto convém a vós que, desde o ano passado, começastes; e não foi só praticar, mas também querer. Agora, porém, completai também o já começado, para que, assim como houve a prontidão de vontade, haja também o cumprimento, segundo o que tendes. Porque, se há prontidão de vontade, será aceita segundo o que qualquer tem, e não segundo o que não tem. Mas, não digo isto para que os outros tenham alívio, e vós opressão, mas para igualdade; neste tempo presente, a vossa abundância supra a falta dos outros, para que também a sua abundância supra a vossa falta, e haja igualdade; como está escrito: O que muito colheu não teve demais; e o que pouco, não teve de menos. II Coríntios 8:7-15.

Aqui Paulo menciona a necessidade que o cristão tem de ser abundante na salvação pela graça. O apóstolo mostra o povo de Israel que foi beneficiado com a generosa provisão do maná e que agora devia partilhar com os necessitados tanto a salvação como os suprimentos físicos. A lição menciona o maná como forma que Deus usou para sustentar Seu povo, quando não havia nenhuma fonte de alimento, mostrando a necessidade de dependermos de Deus hoje, sabermos que toda a provisão vem do Pai e que se temos bens devemos partilhar com os que necessitam!

De qualquer forma é preciso doar parte de nossos ganhos, mesmo que seja doação forçada, em forma de impostos. Sem doações a sociedade não funciona e vai a bancarrota. Assim também a igreja de Cristo necessita de dinheiro para o avanço da obra e atendimento aos pobres. Entramos em contato com pessoas próximas de nós que necessitam da nossa ajuda. Como devemos atender essas pessoas?

O Concílio de Jerusalém foi uma reunião inicial entre as lideranças cristãs nos meados do século I, para abordar se os gentios, que são os não-judeus, deveriam seguir as leis do velho testamento sobre algumas questões; circuncisão, carnes sacrificada aos ídolos, mas tinha uma questão importante para ser decidida; o cuidado dos pobres crentes: “Eis porque, pessoalmente, julgo que não se devam molestar aqueles que, dentre os gentios, se convertem a Deus. Mas se lhes escreva que se abstenham do que está contaminado pelos ídolos, das uniões ilegítimas, das carnes sufocadas e do sangue. Com efeito, desde antigas gerações tem Moisés em cada cidade seus pregadores, que o leem nas sinagogas todos os sábados.” Atos 15:19-21.

“E conhecendo Tiago, Cefas e João, que eram considerados como as colunas, a graça que me havia sido dada, deram-nos as destras, em comunhão comigo e com Barnabé, para que nós fôssemos aos gentios, e eles à circuncisão; recomendando-nos somente que nos lembrássemos dos pobres, o que também procurei fazer com diligência.” Gálatas 2:9,10

Qual é o objetivo porque existe a igreja na terra? No Velho Testamento, quando Deus escolheu Israel como povo de Sua propriedade, como no Novo Testamento, também chamando homens e mulheres para se dedicarem exclusivamente a Ele, sempre os responsabilizou com a missão de proclamar o Seu plano de libertação para o homem caído e escravo de Satanás e do pecado.

A natureza da igreja é preparar um povo santo para viver a eternidade com Deus depois da segunda vinda de Jesus. Este é o objectivo de Deus: “Para a apresentar a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, mas santa e irrepreensível.” Efésios 5:27.

Veja nestes textos como Deus pediu para os judeus ajudarem o próximo, como já citamos: “O estrangeiro não afligirás, nem o oprimirás; pois estrangeiros fostes na terra do Egito. A nenhuma viúva nem órfão afligireis. Se de algum modo os afligires, e eles clamarem a mim, eu certamente ouvirei o seu clamor.” Êxodo 22:21-23

“Não perverterás o direito do teu pobre na sua demanda. De palavras de falsidade te afastarás, e não matarás o inocente e o justo; porque não justificarei o ímpio. Também suborno não tomarás; porque o suborno cega os que têm vista, e perverte as palavras dos justos. Também não oprimirás o estrangeiro; pois vós conheceis o coração do estrangeiro, pois fostes estrangeiros na terra do Egito.” Êxodo 23:6-9

Os gentios, convertidos ao cristianismo, disponibilizaram-se em socorrer os cristãos de Jerusalém, pois, de lá veio o Messias e a mensagem da salvação. Eles queriam retribuir de alguma forma, e isso foi fácil para eles. Os ex-gentios foram mais prudentes, não venderam tudo, contribuíram de tal modo que eles mesmos não viessem depois de necessitar da ajuda dos de fora. Os primeiros cristãos judeus foram tão generosos que venderam tudo, ao menos os de Jerusalém. Havia um entusiasmo por disseminar o evangelho da salvação! Todos os recursos angariados foram disponibilizados para pregar o evangelho e em auxiliar os necessitados.

QUARTA-FEIRA (28 de agosto) O GUIA DE PAULO PARA VIVER E AMAR BEM – Este é o texto principal para hoje: Este é o guia para se viver bem: Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.” Romanos 12:1,2.

A advertência de Paulo aos crentes, em Roma, era de sacrificarem-se a Deus, não como um sacrifício no altar, não como a lei mosaica exigia o sacrifício de animais, mas como um sacrifício vivo. O dicionário define o sacrifício como "tudo que é consagrado e oferecido a Deus". Como crentes, como consagramos e nos oferecemos a Deus como um sacrifício vivo?

Sob a antiga Aliança, Deus aceitava os sacrifícios de animais. Entretanto, estes eram apenas um prenúncio do sacrifício do Cordeiro de Deus, Jesus Cristo. Por causa do Seu sacrifício definitivo e de uma vez por todas na cruz, os sacrifícios do Antigo Testamento tornaram-se obsoletos e não têm mais efeito algum. Hebreus 9:11-12.

Como podem os crentes não se conformar com o mundo? Ao serem "transformados pela renovação de vossas mentes". Fazemos isso principalmente através do poder transformador da Palavra de Deus. Precisamos ouvir Romanos 10:17, ler Apocalipse 1:3, estudar Atos 17:11, memorizar Salmo 119:9-11 e meditar nas Escrituras Salmo 1:2-3. A Palavra de Deus, ministrada em nossos corações pelo Espírito Santo, é o único poder na terra que pode nos transformar de mundanos pecadores para pessoas espirituais.

Romanos 12 continua dizendo que os crentes renovados ajudam os necessitados. Vejam os seguintes textos: “O amor seja não fingido. Aborrecei o mal e apegai-vos ao bem. Amai-vos cordialmente uns aos outros com amor fraternal, preferindo-vos em honra uns aos outros. Não sejais vagarosos no cuidado; sede fervorosos no espírito, servindo ao Senhor.” Romanos 12:9-11.

“Portanto, se o teu inimigo tiver fome, dá-lhe de comer; se tiver sede, dá-lhe de beber; porque, fazendo isto, amontoarás brasas de fogo sobre a sua cabeça. Não te deixes vencer do mal, mas vence o mal com o bem.” Romanos 12:20,21

Como podemos ajudar? Principalmente as ajudas de natureza financeira devem ser realizadas por pessoas capacitadas para isso. É o caso de líderes da ADRA que sabem fazer isso! Mas, cada crente é convidado para ajudar de várias maneiras; ajudar pessoas que precisam de aconselhamento ou de capacitação para uma vida melhor; os que necessitam de uma ajuda para seus estudos, conseguir um emprego, doentes e pessoas que precisam de visita ou apoio moral e psicológico. Pessoas que precisam de boleia para a igreja, etc…

Estamos cumprindo a nossa missão?

QUINTA-FEIRA (29 de agosto) TIAGO, O JUSTO – Há quatro pessoas com o nome Tiago, no Novo Testamento: 1) Tiago, o filho de Zebedeu, é um dos doze apóstolos escolhidos e nomeados por Cristo. Ver Mat. 10:2, é irmão do apóstolo João. 2) Tiago, o filho de Alfeu ou Cléopas, ou Clopas e de Maria, a irmã de Maria, a mãe de Jesus. Ver João 19:25, é primo de Jesus, também é um dos doze apóstolos escolhidos e nomeados por Cristo. 3) Tiago, irmão do apóstolo Judas. Ver Luc. 6:16 e Atos 1:13. Este Tiago não é apóstolo, nem é irmão de Jesus; porque este Judas não é irmão de Jesus. Ver Mat. 10:4. 4) Tiago, o irmão do Senhor. Este é o Tiago, o justo que estamos estudando hoje.

Os evangelhos contam-nos que os familiares de Jesus, incluindo Tiago, o irmão de Jesus, sentiam-se pouco à vontade com quem ele dizia ser. Eles não acreditavam nele; confrontavam-no. No judaísmo antigo, era muito embaraçoso quando a família de um rabino não o aceitava. Tiago aceitou Jesus de coração e foi batizado na igreja cristã. 

Mais tarde, Tiago se tornou um dos líderes da igreja. Depois que Tiago foi liberto da prisão, Pedro quis que ele soubesse dessa bênção. Ver Atos 12:17. No ano 50. d.C, foi Tiago quem presidiu o Concílio de Jerusalém e anunciou a decisão aí tomada. Paulo menciona Tiago como alguém muito importante para o evangelho de Cristo. Ver Atos 15:12-21; Gálatas 1:19 e Gál. 2:9. Tiago não somente tornou-se em um seguidor de Jesus, mas, segundo o historiador Josefo, foi apedrejado até morrer pelo fato de crer em seu Irmão.

Por que a vida de Tiago foi transformada e escreveu o livro que leva o seu nome? Veja os textos para hoje: “E que foi visto por Cefas, e depois pelos doze. Depois foi visto, uma vez, por mais de quinhentos irmãos, dos quais vive ainda a maior parte, mas alguns já dormem também. Depois foi visto por Tiago, depois por todos os apóstolos.” I Coríntios 15:5-7.

“Todos estes perseveravam unanimemente em oração e súplicas, com as mulheres, e Maria mãe de Jesus, e com seus irmãos.” Atos 1:14.

Hoje existem muitas pessoas que vivem sob o mesmo teto de familiares cristãos, mas que não aceitam Jesus. Tiago demorou muitos anos para entender que Jesus era o Messias e só foi depois de muitas dificuldades que aceitou. Jesus, Maria e José deram um bom exemplo em casa; por isso Tiago e os seus irmãos aceitaram Jesus. Assim como o velho ditado diz "que beleza não se põe mesa", também "a Palavra sem o exemplo não tem força". Quando um cristão fala algo, sem a direção de Deus, a consequência pode ter um efeito contrário. Uma pessoa que prega o evangelho, mas dá um mau testemunho na vida, certamente estará vacinando o seu ouvinte contra o reino de Deus. Não é assim?

Tiago escreveu assim sobre a opressão aos pobres e seus opressores. “As vossas riquezas estão apodrecidas, e as vossas vestes estão comidas de traça. O vosso ouro e a vossa prata se enferrujaram; e a sua ferrugem dará testemunho contra vós, e comerá como fogo a vossa carne. Entesourastes para os últimos dias”. Tiago 5:2-3.

Quando é que o nosso dinheiro não serve para nada? Em situações normais é quando ainda não o recebemos, quando ele está bloqueado sem que o possamos usufruir ou quando morrermos. Mas, relacionado com o tema do estudo de hoje, as coisas são diferentes: aqui Deus está falando mesmo do dia do juízo em que os ricos egoístas, opressores e que não seguiram as ordens de Deus, quanto à ajuda aos pobres, serão mortos e consumidos. Depois de morto ninguém mais pode gastar o seu dinheiro. 

Os pagãos, e entre eles estão os egípcios, desenvolvem o pensamento religioso que envolve a questão da vida após a morte. Crente de que o morto se lançava em uma nova existência, o indivíduo poderia ter acesso às mesmas regalias que desfrutava em vida, é por isso que os túmulos, de alguns personagens egípcios,  são tão ricos e recheados de ouro. Mas, coitados! Eles estavam enganados, pois, depois de morto já não se pode usar as riquezas deste mundo, apenas as riquezas celestiais! Veja estes textos: "para saberdes qual é a esperança do seu chamamento, qual a riqueza da glória da sua herança nos santos". Efésios 1:18

"Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que nos tem abençoado com toda sorte de bênção espiritual nas regiões celestiais em Cristo." Efésios 1:3.

Cito dois exemplos de alguns personagens que colocaram o amor ao dinheiro acima do amor à Deus, Sua igreja e pessoas. Ler a história de Nabal, ver I Samuel 25:2-11, e Ezequias, ver II Reis 20:12-19. Temos também o exemplo positivo de Pedro que, sem recursos financeiros, pregou o evangelho da cura. Ver Atos 3:1-10.

SEXTA-FEIRA (30 de agosto) LEITURA ADICIONAL E COMENTÁRIOS DA LIÇÃO 9 (3º trimestre 2019) SERVIÇO NA IGREJA DO NOVO TESTAMENTO - Quando estudamos o livro de Atos, encontramos a igreja em início de jornada. Perfeitamente equipada para atravessar os séculos, tal como um viajante que se prepara para uma grande jornada, com todos os seus suprimentos e equipamentos na bagagem. A atividade da igreja era intensa, muitas pessoas se convertiam ao Senhor, eram curadas e libertas. Isso nos leva a pensar sobre o que havia de especial naqueles irmãos.

O que tornava a igreja daquela época tão eficiente e poderosa? É certo que todos estavam cheios do Espírito Santo, mas será que havia algo que permitia ao Espírito agir e operar com mais eficácia através deles?

Em Atos 2:42-43 encontramos que todos; “perseveravam na doutrina dos apóstolos e na comunhão, no partir do pão e nas orações. Em cada alma havia temor, e muitos prodígios e sinais eram feitos pelos apóstolos.” 

Entre as características de nossos primeiros irmãos, o texto acima nos apresenta 5 principais, que cada um deles tinha e que todos nós deveríamos ter também. Quatro delas são caracterizadas pela palavra “perseveravam” que traz o sentido de ser persistente, empregar tempo e atenção:

1) Perseveravam na doutrina dos apóstolos: doutrina significa ensino. Essa foi uma marca do ministério de Jesus com Mestre e, depois dele, os apóstolos continuaram a fundamentar a igreja segundo o que receberam. Um resumo da doutrina de Jesus pode ser visto nos capítulos 5 a 7 de Mateus, trecho que mostra como deve ser a vida de uma pessoa no reino de Deus. Hoje é necessário que a igreja se mantenha nesse fundamento para que não se desvie e perca a sua essência.

2) Perseveravam na comunhão: a comunhão cristã significa partilhar com outros irmãos a nossa união com Cristo. É muito mais do que estar juntos. É viver ligados a um mesmo corpo, sob o comando de um mesmo Senhor. Perseverar na comunhão é se empenhar em desenvolver relacionamentos com irmãos na fé para serviço e edificação. Nem todo ajuntamento é comunhão, mas se abrirmos espaço para o Espírito Santo, para a edificação, para repartimos algo de Deus, estaremos perseverando na comunhão. Veja I João 1:3

3) Perseveravam no partir do pão: embora o texto não deixe claro se esse “partir do pão” se referia a ceia do Senhor ou as refeições, acredita-se que a igreja seguia as orientações de Jesus em sua última Ceia e repartia o pão e o suco de uva sempre que se reunia, mesmo em ocasiões singelas como uma simples refeição. Essa prática trazia à memória a obra de Jesus e a esperança do seu retorno, reavivando a fé na obra de Cristo, no seu grande amor, na sua morte e na sua ressurreição. Tal como aconteceu com os dois discípulos no caminho de Emaús. Ver Luc 24:30-32, isso era uma fonte de grande esperança para a igreja.

4) Perseveravam nas orações: as orações foram as armas mais poderosas da igreja primitiva. Mais do que orar para que Deus abençoasse isso ou aquilo, a igreja orava para o avanço do reino com poder espiritual. As mãos de Deus se moviam acompanhando as orações da igreja, trazendo livramentos, direção e concedendo poder. Como resultado das orações, muitas pessoas se convertiam e muitos sinais eram feitos pelas mãos dos apóstolos. Isso mostra que havia uma profunda dependência de Deus e que nada era feito sem oração.

5) Em cada um havia temor a Deus: a realidade da presença de Deus entre eles sinalizava a cada um que tivesse cuidado e se portasse com honra e respeito, pois Deus é zeloso, santo e não tolera o pecado.

“O espírito de liberalidade é o espírito do Céu. Este espírito encontra sua mais alta manifestação no sacrifício de Cristo sobre a cruz. Em nosso benefício o Pai deu Seu único Filho; e Cristo, tendo renunciado a tudo o que possuía, deu-Se a Si mesmo, para que o homem pudesse ser salvo. A cruz do Calvário deve ser um apelo à beneficência de cada seguidor de Cristo. O princípio aí ilustrado é dar, dar. "Aquele que diz que está nEle, também deve andar como Ele andou." I João 2:6. Por outro lado, o espírito de egoísmo é o espírito de Satanás. O princípio ilustrado na vida dos mundanos é receber, receber. Assim esperam eles conseguir felicidade e conforto, mas o fruto do que semeiam é miséria e morte.” Atos dos Apóstolos, 339

Luís Fonseca


2 comentários:

  1. Bom dia Luis Fonseca, gosto muito de ler seus comentário de cada Lição mas tenho visto que não foi mais publicada os comentários das lições. Que na verdade nos ajuda a compreender mais cada tema da lição e espírito de profecia da Senhor ELLEN WHITE. Lhe pergunto não vamos mais ter o privilegio de ver mais os seus comentários? Gostaria de ver alguma resposta pode ser.

    ResponderEliminar