sexta-feira, 1 de Junho de 2012

ESBOÇO DE SERMÃO - A CORRIDA DO CRISTÃO


A Corrida Cristã

Introdução

1- Durante séculos, babilônicos e assírios disputaram o território da antiga Mesopotâmia, região entre os rios Tigre e Eufrates. O povo assírio, de origem semita, viveu nessa região. Sua capital nos anos mais prósperos foi Nínive, numa região que hoje pertence ao Iraque, na margem ocidental do rio Tigre, perto da atual Mossul.

2. Atualmente, sua posição é marcada por dois grandes montes, Kuyunjik e Nebi Yunus, e pelas ruínas das muralhas da cidade, de aproximadamente 5 km de diâmetro. No segundo e terceiro milênio a.C., Nínive foi conhecida como um centro religioso. A fama dos supostos poderes curativos da estátua da deusa Ishtar chegou a territórios distantes como o Egito. O rei assírio Senaqueribe (que reinou entre 705-681 a.C.) mudou a capital do império de Calah (Nimrud) para Nínive pouco depois de ter chegado ao trono. A partir daí, a cidade antiga se desenvolveu muito, crescendo em grandes bairros, praças largas, parques e jardins, e com um edifício magnífico de mais de 80 quartos, conhecido como “O Palácio Sem Rival”. A água potável para os habitantes foi trazida por um sistema de canais e de aquedutos a uma distância de 50 quilômetros.


3. O rei Asurbanipal (669-627 a.C) é tido como fundador de uma biblioteca em Nínive. Durante seu reinado, a biblioteca foi enriquecida pelos escribas com textos científicos e literários.

4. O saque da cidade pelos babilônios e medos, em 612 a.C., pôs fim ao império assírio; e, embora algumas áreas fossem habitadas mais tarde, Nínive nunca reconquistou a importância que tivera no passado.

5. Nínive foi fundada às margens do rio Tigre, logo depois da dispersão da Torre de Babel. Possuía 120 mil habitantes e “no tempo de sua prosperidade temporal Nínive era um centro de crime e impiedade” (Profetas e Reis, pág. 265, ver Naum 3:1 e 19). Mas, “embora ímpia como havia se tornado, Nínive não estava inteiramente entregue ao mal”.  Ibidem, pág. 265.

6. Era ali que Deus queria que Seu profeta pregasse; na capital da nação inimiga do povo de Deus. Um centro de impiedade, cujos habitantes eram conhecidos pelas crueldades que praticavam. Você já recebeu alguma ordem de Deus? Jonas, sim.

I. Correndo de Deus (Jonas 1:1-3).

1. O que Deus pediu a Jonas era tão contrário à vontade humana, que o profeta resolveu fugir “para longe da presença do Senhor”.

2. Hoje em dia, há muitas pessoas que também fogem de Deus, por não compreender Seus propósitos e não aceitar Seus mandamentos. 

Há os que procuram uma religião conveniente, que se amolde aos seus gostos e preferências. E há aqueles que se recusam a partilhar o evangelho num mundo quase sempre hostil a opiniões religiosas.

a) Essa é a pior corrida que se possa imaginar: correr de Deus; para longe de Deus; para longe de Sua santa vontade.

II. Deus Procura (Jonas 1:4)

1. A despeito da relutância e rebeldia de Suas criaturas, Deus apela ao coração do ser humano. Às vezes, Deus fala por meio de um leve sussurro; noutras ocasiões, precisa falar por meio das tempestades, dos problemas e aflições. Deus não é o responsável pelo mal que nos acontece, mas usa essas circunstâncias para nos trazer até Ele, de onde vem a paz e a segurança verdadeiras.

2. O que Deus tem usado para falar ao seu coração recentemente? Você está ouvindo Sua voz neste momento? Lembre-se do que diz Hebreus 3:7 e 8: “Hoje, se ouvirdes a Sua voz, não endureçais o vosso coração.”

III.Correndo Para Deus (Jonas 2:1-10)

1.No fundo do “poço”, Jonas percebeu que sua única esperança estava no Senhor; e lá mesmo, no ventre de um peixe enorme, o profeta orou e foi ouvido por Deus.

a) Não importa em que situação você esteja, lembre-se: nunca é tarde demais para buscar ao Senhor.

2. Essa corrida – na direção de Deus – é o começo da vitória espiritual. É fazer como o filho pródigo: voltar para o Pai apenas para perceber que Ele já estava à espera, de braços abertos.

IV. Correndo Com Deus (Jonas 3:1-5)

1.Quando nos arrependemos e voltamos para Deus, Ele nos concede nova chance (“veio a Palavra do Senhor segunda vez a Jonas”) e nos trata como nova criatura.

2.Correr com Deus, andar ao Seu lado, é o que significa ser cristão. É ter o senso da presença constante do Senhor.

V.Correndo na Frente de Deus (Jonas 4:1-3).

1.Assim como fez Jonas, que não entendeu a profundidade da misericórdia de Deus, muitos tentam manipular a vontade do Senhor ou acomodá-Lo às suas opiniões e desejos. Mesmo ajoelhados, em oração, é possível que estejamos impedindo Deus de ser Deus.

a) Por isso, nunca é demais lembrar as palavras da oração do Pai Nosso: “Seja feita a Tua vontade.”

2. Deus lidou com o profeta como se faz com um filho teimoso. Ele perguntou: É razoável essa tua ira?” E deixou o profeta pensar. O silêncio de Jonas é indicativo de que, finalmente, ele vislumbrou o amor perdoador do Pai. Deus tinha uma cidade para salvar – mas também quis salvar Seu profeta de coração duro.

Conclusão

1. Em que parte da corrida cristã você está neste momento? Correndo de Deus? Correndo para Deus? Correndo com Deus? Ou correndo na frente de Deus?
Autor: Michelson Borges - Revista do Ancião/ jan – mar 2007 – Oferecido por Depto Comum.. da UCB

Luís Carlos Fonseca

Sem comentários:

Enviar um comentário