terça-feira, 25 de Janeiro de 2011

ESBOÇO DE SERMÃO - LEI E GRAÇA


                                                                  Introdução

1.    Lei e graça estão intimamente associadas no plano da redenção. Para compreendermos a operação da graça, devemos saber algo sobre como a lei atua, e vice-versa.

2.    Vamos pensar agora nas grandes leis da Bíblia e ao mesmo tempo rever alguns importantes fatos.

I.       Há Quatro Tipos de Leis nas Escrituras Sagradas
1.    As leis da nação judaica – Elas regularam uma variedade de coisas relacionadas com o funcionamento de Israel como nação. Deus deu estas leis dentro das limitações e circunstâncias da época. Elas abrangiam problemas de higiene, crimes, procedimentos judiciais, etc. Em seus detalhes, elas não são aplicáveis hoje, muito embora estejam repletas de princípios sábios e fundamentais.

2.    As leis cerimoniais, ou do santuário – Elas regiam os serviços religiosos de Israel e foram símbolos do Messias que viria. Foram dadas para os judeus e todos os conversos da fé israelita. Assim como as leis civis, foram escritas em um livro por Moisés e colocadas ao lado da arca. Também eram de caráter temporal e não se estenderiam além da vida e morte de Cristo, para quem as cerimônias apontavam. (Col. 2:14 e 17; Efés. 2:15).

3.    A Lei Moral, a lei dos Dez Mandamentos – Ela está em Êxo. 20:1-17. Foi proclamada no Monte Sinai, escrita em tábuas de pedra e preservada como a lei universal da humanidade (Deut. 10:4).

a)    Os Dez Mandamentos foram então colocados na arca (Deut. 10:5).

b)    As leis cerimoniais podem ser comparadas aos andaimes de uma construção – são removidos quando já desempenharam sua função. A lei moral é como alicerce da construção irremovível.

c)    No Novo Testamento, o batismo e a santa ceia, ou comunhão, são as cerimônias ou ordenanças da igreja que ocupam o lugar das cerimônias do Antigo Testamento; após terem sido abolidos os serviços do santuário. Mas a lei moral não foi substituída, porque ela não foi abolida. E nem será jamais mudada ou anulada.

4.    Leis de saúde. Levíticos

II.      Como a Bíblia Descreve a Lei dos Dez Mandamentos?
1.   Ela é perfeita (Salmo 19:7).
a)    Ela é santa, justa, boa e espiritual (Rom. 7:12 e 14).
b)    Ela é justiça (Salmo 119:172)
c)    Ela é verdade (Salmo 119:142).
d)    Ela é eterna (Salmo 119:152).

Joseph Cooke escreveu: “Enquanto Deus permanecer Deus e o homem permanecer homem, o Decálogo também permanecerá.”

e)    E podemos acrescentar uma outra característica da lei: ela é amor. “Deus é amor”, e como Sua lei expressa o Seu caráter, a lei também é amor (I João 5:3).

III - O Que a Lei Faz Pelo Pecador?
1.    Deus usa a lei para fazer pelo pecador exatamente o que precisa ser feito. O pecador deve reconhecer que ele é um pecador. O que faz a lei então?
a)    Dá o conhecimento do pecado (Rom. 3:20).
b)    Traz culpa e condenação (Rom. 3:19).
c)    Atua como um espelho espiritual. (Tiago 1:23-25)
Sem lei, o pecador é como alguém que está sofrendo de uma doença mortal, sem saber. Paulo disse: “Eu não teria conhecido o pecado, senão por intermédio da lei” (Rom. 7:7).

2.    A lei não pode perdoar. Ela não tem o poder de perdoar aqueles que transgridem seus preceitos. Apenas o Legislador pode fazer isto. Jesus morreu para nos resgatar da maldição da lei.

IV - O Que a Graça de Cristo Faz Pelo Pecador?
1.    Quando a lei e o espírito de Deus tornam o pecador consciente de seu pecado, ele então sentirá sua necessidade de Cristo e irá ao Salvador suplicando perdão. a. assim fez o publicano.
b. a mulher surpreendida em adultério sentiu-se condenada
    e envergonhada. Ela necessitava simpatia e perdão, e
    Cristo estava pronto para conceder isto. Então Ele lhe
    disse: “não peques mais.”

2.    Se confessarmos e abandonarmos o pecado, Ele nos perdoará. Isto é Graça ou favor imerecido. Este gracioso amor de Cristo desperta o amor no coração do pecador, e ele então deseja servir e obedecer a Deus.

V - A Relação de um Pecador Salvo Pela Graça Para com a Lei
1.    A lei torna-se o padrão de sua vida (I João 5:3).
2.    Ele permite que Cristo complete nele a justiça da lei (Rom. 8:3 e 4).
3.    Cristo escreve a lei em seu coração (Heb. 8:10). Para aquele que se entrega a Deus, Sua lei não é nenhum terror. Ele agora está livre de sua condenação por meio de Cristo. Neste sentido, ele não está mais debaixo da lei, mas da graça. Ele agora é capaz de exercitar a fé que opera por amor. Isto significa uma vida transformada em harmonia com a lei moral de Deus.

Conclusão    
1.    Qual é a relação entre Graça, Fé, Amor e Lei?

a)    A Graça é um favor imerecido. Mas a graça não sanciona a continuada transgressão.

b)    A fé não anula, mas estabelece a lei.

c)    A fé comunica poder para vencer.

d)    O amor é o cumprimento da lei. O verdadeiro amor guarda os mandamentos.

2.    Caro amigo(a), não existe na terra posição mais segura que estar entre os que amam a Deus e guardam os Seus mandamentos. É a graça de Deus que torna tudo isto possível.

Maravilhosa graça de Deus!

 Revista do Ancião, out–dez, 2003

Depto de Comunicações da UCB

Luís Carlos Fonseca


Sem comentários:

Enviar um comentário